RPS Musical #11: 03/07/17



Fala meus bons vivants, olha ai mais uma edição do RPS começando. E como de costume mais uma semana bem morna de lançamentos, verão americano começou bem morno. Mas vamos logo as reviews.

Future feat. Chris Brown - PIE


O Future até costuma ter uma mão boa para escolher os beats de suas musicas, mas também para por ai. Porque de resto o Future não se destaca de verdade em nada.

Hunter Hayes - Rescue


Da para ouvir de boa, mas tem countrys nessa linha mais Pop bem melhores.

Jade Baraldo - Brasa


Nada de muito impressionante, mas é um Pop Alt legal até. 

LANY - Super Far


Musica sem grande destaque, se você curte Indie Rock indo para um vertente mais pop talvez goste se não nem precisa ouvir.

Bugzy Malone - Bruce Wayne


Olha ai mais um musico do movimento Grime aparecendo, pra mostra que o movimento ta vindo com força mesmo. Excelente trabalho do Malone, destaque para o flow frenético.

Astrid S - Such A Boy


Aquele Pop bem radiozera, bom para trilha de transição de vídeo de canal de viagem no Youtube. Para quem curte um Pop mais simples talvez goste.

Remove Silence - RAW


Já foi o tempo de Hard Rock moderninho na linha do Shinedown, musica bem chatinha. 

Hare Squead - Flowers


Rap com uns elementos de R&B bem divertido, todos os músicos do grupo conseguem ter seu momento de destaque na musica o que deixa ela bem dinâmica e o beat da musica deixa ela com uma pegada soft sem perder o peso que ficou excelente.

Foster The People - Loyal Like Sid & Nancy


O beat deixa a idéia de ser um EDM legal, mas o vocal deixa muito a desejar.

Avenged Sevenfold - Retrovertigo


Passível de cadeia.

Wyll Niga feat. Smile DJ - Parada no Tempo


O meu medo esta se concretizando, Dennis DJ esta fazendo discípulos. 

Adam Lambert - Two Fux


Gosto do Adam, mas essa aqui não deu não. Bem ruinzinha. 

Rashid - Musashi


Vai se foder Rashid que som é esse, letra sinistra.

Arcade Fire - Sign of Life


Creio que muita gente vai torcer o nariz para essa fase nova do Arcade Fire, mas eu gostei muito dessa pegada retro puxada para Disco Dance.

DJ Caíque feat. Clara Lima, Tati Botelho e Cris Snj - Mente Criminosa


O beat é muito bom, a letra é mediana começa meio fraca e vai melhorando durante o andamento da musica, no geral um rap bem ok.

Dan Caplen feat RAY BLK - Flar Champagne


O começo parece pouco promissor, lembrando certos trabalhos recentes do Drake, mas quando a musica engrena vira um R&B bem gostosinho de ouvir.

Liam Gallagher - Chinatown


Aquele Rockzinho bem bunda, igual na época do Oasis.

João Guilherme - O Que eu Sempre Quis


1 Reasons Why

Harper - Bad Luck


Um excelente arranjo instrumental, com uma guitarra puxada pro funk que ficou do caralho. O que estragou um grande resultado final foi o vocal pouco inspirado, encaixou muito pouco com instrumental. 

Stone Sour - Song #3


Essa musica nova me agradou bem mais que as outras coisas desse disco novo do Stone Sour que eu cheguei a ouvir, mas ainda sim longe de realmente ter criado um grande interesse para que eu escute o disco todo. Acho que eu a passei da fase de curtir Stone Sour.


John Smith - Living in Disgrace


John Smith é aquele tipo de artista jogo ganho e essa musica é mais um trabalho primoroso do britânico. Todos os elementos que deram nome ao musico você encontra nesse som, letra excelente, arranjo do instrumental foda e aquela voz rouca marcante. 

Make U Sweat feat. Mika


Nem uma musica que tem como refrão "Mira na minha boca e vem" tem como ser boa.


Calvin Harris - Funk Wav Bounces Vol. 1 


Bom ao invés de revisar só uma musica, irei revisar o disco todo. Quando surgiram as primeiras musicas desse novo álbum do Produtor/DJ escocês a surpresa foi geral, já que as musicas não tinham aquela linha Summer EDM genérico como de costume nos trabalhos de Harris, isso devido a linha mais voltada ao Funk que tinha as musicas. A mudança talvez tenha vindo pelo DJ ter observado como vem se destacando outros produtores que apostaram nessa linha como o Daft Punk e Mark Ronson, o resultado final é um disco mediano ele tem sim algumas boas musicas que são facilmente as melhores da carreira de Calvin Harris, mas o disco também tem boas falhas certas participações não funcionaram em nada no disco. O que podemos concluir é que se Calvin Harris manter a linha do que fez nesse disco, talvez os próximos trabalhos do cantor realmente possam ser muito bons, mas por enquanto temos no maximo um disco mediano.