Doctor Who: O Retorno da série em The Pilot


As expectativas para a 10ª Temporada de Doctor Who eram enormes. Primeiro, o anuncio da saída do showrunner (produtor principal) Steve Moffat, já deixando claro que essa seria a sua ultima temporada no comando. Logo depois disso, Peter Capaldi, o próprio Doutor, também anunciou sua saída. Foi o suficiente para já surgirem várias expeculações de quem seria o novo Doutor e o mais importante: como seria o final de Capaldi como o 12º? O Mais curioso é que, ao assistir The Pilot, primeiro episódio da temporada, o sentimento é muito mais de um recomeço do que de um fim.

Nada mais natural. Afinal, temos uma nova companion: Bill. Assumidamente gay, Bill é o centro das atenções em The Pilot. O episódio é todo voltado a apresentar a personagem todos os conceitos da vida do doutor, e essa apresentação também pode muito bem funcionar a um novo espectador. Isso mostra também uma evolução de Moffat como roteirista: Quando assumiu a série em 2010, o produtor se focou tanto em recomeçar a série que deixou a impressão de que o que tinha sido feito antes não valia. Aqui ele retoma a série, ajuda novos fãs e respeita os já de longa data, com pequenos fanservices, como fotos de Rever Song e Susan (já escrevi umartigo sobre o primeiro doutor, leia aqui) e um pote com as antigas chaves de fenda sônica.


A apresentação é tão pontual que cria situações que podem ser consideradas icônicas. Pessoalmente considero a cena de apresentação do ambiente da TARDIS a melhor representação do conceito de “é maior por dentro”. E quando Bill fala esta mesma frase, Nardole solta um “ela disse!”, o que muitos fãs provavelmente disseram, afinal, a frase já virou regra e já era de se esperar que fosse dita.


A Sexualidade de Bill está longe de ser apenas um elemento de roteiro para incluir diversidade na série, até por que ela já inclui diversidade a tempos. Neste episódio de apresentação precisavamos conhecer a personagem a fundo, e incluir sua sexualidade diretamente no mote principal da história foi uma ótima maneira de utilizar-se disso. E decidida, Bill recusasse a ter sua memória apagada pelo Doutor, deixando claro a ele que está lá presente para também discordar de suas imposições de egoísmo. E o papel de uma companion é justamente esse: ajudar o Doutor a compreender melhor suas decisões. Trazer compaixão a ele.


Certamente o Doutor de Capaldi vai deixar muita saudade. Sua personalidade evoluiu muito durante as temporadas. Agora mais a vontade no papel, o carisma natural do ator é ainda maior. Ve-lo em cena é contestar que ele conquistou o titulo de Doutor e merece ter uma temporada que, pela promessa de Moffat e demais produtores, fará várias referencias a série clássica, a qual Capaldi é grande fã. Retorno dos Cybermen originais, da Missie, do Mestre de John Simm e a saída de Moffat e Capaldi. Amigos, essa temporada promete! Retorno dos Cybermen originais, retorno da Missie, Retorno do Mestre de John Simm e a saída de Moffat e Capaldi. Amigos, essa temporada promete!