Sense8 - A Redenção dos Wachowskis


E aí, nerds! Para a minha primeira postagem aqui no BdC, eu resolvi fazer uma resenha, ou quase isso, de Sense8, a nova série original da nossa amada Netflix.


Como todo mundo já sabe, essa é a primeira série dos irmãos Wachowskis, que não faziam nada de bom desde a trilogia Matrix (Speed Racer é muito bom, tenho dito!) e acharam no mundo das séries uma chance de fazer algo original e sem a pressão dos engravatados de Hollywood.


E a pergunta que todos estão fazendo desde o anúncio da série é: Eles acertaram dessa vez?
A resposta, meus amigos é: SIM! Eles conseguiram criar uma trama tão boa quanto a do filme de 1999. Agora vamos ao que interessa, a tal da resenha.

Para melhor situa-los vou fazer uma pequena introdução da série.

"A trama começa quando 8 pessoas de diferentes lugares do mundo presenciam mentalmente a morte trágica e violenta de uma mulher, neste momento essas pessoas passam a estarem ligadas de uma forma telepática umas com as outras, dando a capacidade de sentir o que os outros sentem e de partilhar habilidades com eles, agora eles tem que fugir de uma ameaça que nunca tinham visto antes"

Vendo assim nem parece que a série é isso tudo, mas com o desenvolver dos episódios você vai se relacionando com cada um dos personagens de forma única e emocional, cada personagem tem seu próprio núcleo e cada um deles tem sua personalidade extremamente bem definida e ao final do quarto episódio você se apaixona por todos eles ao som de "What's Up" do 4 Non Blondes quando todos os 8 se conectam ao mesmo tempo.


E como não falar de todos esses personagens? Muito bem interpretados, mesmo que por atores desconhecidos do grande público. Eu pelo menos nunca tinha ouvido falar de nenhum deles, e me surpreenderam, mostrando um show de desenvolvimento de personagem, extremamente bem escritos e contextualizados culturalmente em seus países. O trabalho de pesquisa dos Wachowskis ao lado do roteirista Michael Straczynski (roteirista de Babylon 5) foi impecável, sem erros e esteriótipos exacerbados como é comum em produções desse nível. Para falar melhor, vou separar e falar de um por um.

Nomi Marks - Uma trans lésbica e hacker que vive em São Francisco, é o cérebro do grupo, tem um dos núcleos mais legais e importantes para a trama principal. Ela é interpretada pela atriz Jaime Clayton que também é transsexual.

Will Gorski - É o líder e herói dos sensates, ele é policial  em Chicago e vive a sombra do pai, Ele quem leva a trama principal salvando os sensates e sendo guiado por Sayid  Jonas Maliki (um sensate badass) para combater Mr. Whispers (um sensate que caça os demais).

Capheus Van Damme - O coração do grupo, vive em Nairóbi e é motorista, mas se mete com gente que não devia. Não tem como não se encantar com a bondade dele, e é fã de Jean-Claude Van Damme.

Lito Rodrigues - Um ator mexicano de ação, gay não assumido e não sabe como lidar com isso, mesmo morando com Hernando, seu amor. É o melhor núcleo, tratando o relacionamento entre pessoas do mesmo sexo de modo tão natural quanto qualquer outro casal da série.

Wolfgang Bogdanow - O alemão mais thug life do mundo, o medidor de loucura de Wolfgang é extremamente alto e ele tem cenas extremamente maneiras! Além do fato dele ficar nadando com a jeba pra fora a série toda.

Sun Bak - A badass do grupo, mora em Seul e além de ser a filha de um empresário poderoso, é lutadora em lutas clandestinas. Ela mete a porrada no melhor estilo Tigre e o Dragão.

Kala Dandekar - Vive em Mumbai e está com um casamento arranjado com o filho de um rico farmacêutico para quem trabalha, mas acaba se apaixonando por Wolfgang. Ela é a healer do grupo e a mais religiosa.

Riley Blue - Islandesa que mora em Londres. Ela é a donzela do grupo, só que com muitas dorgas na cabeça, aparentemente ela pode dar vida à outro clã.
Wolfgang e sua fucking bazooka! Cara, como ele é foda!

E é por essa riqueza de cultura e quebra de tabus que os 12 episódios da série levam o espectador. Ela passa por cada país e nos mostra a verdade sobre cada região, com cenas gravadas em locação para aproximar ainda mais da realidade e isso é o mais legal. Não só a trama cheia de mistérios por trás, mas sim como cada personagem é introduzido, como somos levados pelo mundo para conhecer povos diferentes e se importar com cada um deles. Os cenários são um show à parte, passando por 9 diferentes países. Essa série se torna um marco e tanto para o mundo das séries quanto para a Netflix. Realmente os Wachowskis acharam no streaming a sua redenção criativa e mostraram que não é só da sombra de Matrix que eles vivem.

Agora o que você está esperando? Assista logo Sense8 e viaje pelo mundo! Ainda vou encher o saco do Rafa para fazermos um cast sobre Sense8, por que a série merece toda a atenção. Se fosse para dar uma nota, seria um lindo 10, sem arrependimentos.


Acompanhe Nossas Redes Sociais: Twitter, Facebook, Instagram, Orkut (NOT), Filmow. Ah, e deixe seu comentário!

Cinéfilo, Leitor, Escritor, Nerd, Gestor de Recursos Humanos, Lanterna Verde e TeamCap!