Quem Disse, Berenice?


Hoje em dia, todo e qualquer filme tem um bom investimento em publicidade. Uma boa parte gasta toneladas de dinheiro só pra fazer propaganda. Esse orçamento é tostado na produção de trailers megalomaníacos, que cada vez mais, geram uma expectativa que não condiz com a qualidade do filme.

Mas qual o problema disso? Não é só marketing? O problema é aquele tipo de pessoa que se deixa levar pelas emoções da trilha sonora do trailer e notícias sensacionalistas das mídias especializadas; e que tende a aceitar o que lhes dizem sobre a qualidade do filme ou série como verdade absoluta, sem nem sequer parar pra pensar se gostaram do produto que lhes foi entregue. A este tipo, dou o nome de Berenice.


Berenice se comovendo com mais um trailer...
A Berenice sempre chega do seu lado escandalizando. Ela necessita do fundo de sua alma influenciável de gritar no seu ouvido, o mais alto que ela puder: “Você viu o novo trailer daquele filme?!!!! Meu Deus, que perfeição!!!!”. Sim, isto é ensurdecedor. Mas se repete e não há como impedir o histerismo. Então você fala que não viu porque os outros trailers não te agradaram.

“Ah, eu sei que você não gostou dos outros dezenove trailers que saíram, mas esse vai te fazer adorar o filme!”. Isto é muito estranho de se dizer. Você já não tem mais interesse no longa, e ela insiste que ainda pode te fazer gostar. Seja com trailers, ou notícias extravagantes; ela, que ficou gamadinha no filme, tenta te empurrar aquela história goela abaixo. Isso é muito chato.

Quem disse Berenice?
Então chega a data de lançamento. “Ah, o filme vai ser ótimo, lindo, maravilhoso. Vai ganhar até Oscar!”. Sua reação é perguntar: Quem disse, Berenice? E ela te diz que ouviu isso em algum canal no youtube, que leu em algum site, ou que o próprio trailer provou isso.

Mas quando encerra a sessão, a Berenice vê que o filme era bem ruim, coisa que você já sabia. O trailer foi melhor que o longa do início ao fim. Mas a fé dela ainda continua ali, mesmo que abalada. Ela quer porque quer gostar do que viu. Eis que surge mais uma vez a mídia especializada, fazendo zilhões de elogios onde não existem, e ajudando a Berenice a ter motivos pra gostar do que passou na telona.

Logo, lá está a Berenice gritando no seu ouvido de novo, sobre o quanto aquela porcaria cinematográfica é sensacional, incrível, original, etc. etc. etc. Isso é um saco. Ela não quer aceitar que o filme é ruim. Então você pergunta: Quem disse, Berenice? E ela dá a mesma resposta: “Alguém me falou!” E o ciclo se repete. Fica nessa palhaçada.

O filme ruim ganha dinheiro em cima da pobre Berenice, que é fraquinha na mente e engole tudo o que lhe impõem com verdade, já que ela não tem opinião própria. Vê se cresce Berenice!

Então, da próxima vez que quiserem te fazer acreditar que algo é bom, é melhor perguntar antes: Quem disse, Berenice?

PS DO RAFA TEKKEN:
SEGURA BERENICE!


Acompanhe Nossas Redes Sociais: Twitter, Facebook, Instagram, Orkut (NOT), Filmow. Ah, e deixe seu comentário!