Rabbits, de David Lynch

"Ninguém deve saber sobre isso"
"Algo está errado"
"Eu  quero saber quem eu serei"
"Eu só gostaria que eles pudessem ir embora"
"Que horas são?"
O que falar sobre esse cineasta chamado David Lynch? Bem, um resumão mesmo das obras dele, seria que a(s) característica(s) seria(m) o surrealismo, o sobrenatural, a forma de você interpretar os filmes dele, que a princípio parecem totalmente sem nexo... E a não ser que você procure na internet, em forúns e tal, continuará achando sem nexo. 
Fazer um resumo sobre os filmes dele é completamente difícil, assista por si só e interprete (se consegui) de sua forma (acho interessante, que ele diz não colocar comentários dele nos DVDs de seus filmes, pois "os filmes falam por si só"). Mas vale uma recomendação de uma mini-série (ele já tinha feito a série Twin Peaks,1990), de 8 episódios, que foram lançados exclusivamente no site de Lynch em 2002, e mais tarde compactados em 4 episódios inclusos num box de filmes dele. No final do post você vê o vídeo com essa versão (de 43min., sendo que cada episódio originalmente durava 50min.) disponível no YouTube.

O slogan da série é: "Em uma cidade sem nome, amaldiçoada por uma chuva contínua... Três coelhos vivem com um misterioso medo."
Na série somos apresentados ao suprassumo do cenário, clima e personagens Lynchianos (pior que Eraserhead): três coelhos humanoides, que são Jack, único personagem masculino visto na série, que usa um terno; Suzie, uma coelha que fica em grande parte dos episódios passando a roupa, e Jane, uma outra coelha que só fica sentada no sofá em todos os episódios (Uma usa um vestido e a outra um roupão, mas sinceramente, não notei essa diferença).

O único cenário existente é o de uma sala, uma sala de estar basicamente (em minha concepção eles devem morar em um prédio), a o nosso ponto de vista é presumidamente do que seria o lugar onde ficaria uma televisão ali, e ela (a câmera) fica na mesma posição em todos os episódios.

Não bastasse isso estranho, não bastasse essas gigantes cabeças de coelhos (esqueça o Frank de Donnie Darko, embora este nunca tenha sido necessariamente assustador), os diálogos não fazem sentido algum; como por exemplo Jack diz: "Eu preciso lhe contar algo, Jane", e ela responde "Que horas são?".
E a única, "interpretação" que tive sobre tudo isso (como se fosse grande coisa), é justamente essa pergunta, pois logo depois vem a trilha de risadas, também sem motivo aparente (não preciso fica falando toda hora que tal coisa não tem motivo e tal, já tá bem evidente que nada nele tem mesmo), como uma série de comédia, e já havia sido ouvida na primeira vez que Jack aparece em cena, que ele entra na sala pela porta, e o "público" aplaude por um minuto eu acho, e ele espera a saudação acabar, para finalmente sentar no sofá. E o desgraçado sai e entra várias pela porta, e sempre que volta, os aplausos extensos continuam, e ele os espera terminar...

Mas enfim, continuando, esse momento que Jane pergunta que horas são, e o público ri (assim como ri de outras frases sem nexo), foi basicamente, pra mim, como uma pergunta idiota, dada as circunstâncias o "mundo" que os coelhos vivem, e o público ri dessa ironia (mais pra frente tem uma teorias que inclui uma sobre sitcom). 

Não bastou só isso, só os diálogos sem nexo, ou o estranho desconforto em cômodo (que parece ter sido filmado em cenário do Chaves), com uma música de fundo tensa e não tão perceptível (feita por Angelo Badalamenti), e uma iluminação precária que cria sombras deixando ainda mais a atmosfera mais desconfortante, em 2 momentos, Suzie sai de cena e volta quando a sala fica vermelha (como se alguém tivesse acendido um isqueiro na frente da lente da câmera), trazendo em cada mão (ou melhor, pata), uma vela ou uma lanterna, talvez, e brota no canto da tela UM MALDITO DEMÔNIO... E no inquietante final (me lembrou Cidade dos Sonhos, que acontece tanta coisa em poucos minutos de forma tão bem feita), a porta se abre sozinha e as luzes se apagam, e a luz acesa é uma que vem antes da porta (presumo que, já que deve ser um prédio, a luz venha de um corredor), que vai fechando e abrindo, fechando e abrindo... Junto a um histérico grito de uma mulher...

Os três coelhos é composto por elenco que Fynch já estava costumado a trabalhar: Scott Coffey, Naomi WattsLaura Harring e Rebekah Del Rio, que ambas dublam Jane.

Ainda não assisti a Inland Empire (2006), mas esses três personagens estão inclusos no filme, pelo visto.

Bem, falei muito, falei demais (nem comentei sobre o telefone, os poemas, o homem do terno verde, o buraco com a bola de fogo...), o vídeo é melhor ser assistido (à noite, de preferência), para uma noite "de soneca" ser perfeita.
Na verdade, minha inútil intenção de resumir, ou pelo menos fazer uma sinopse sobre a série (já que não conheço o limite de 15 linhas, ou como não ser prolixo...), para o post ser centrado sobre as teorias, ou melhor, as interpretações que as pessoas tiraram (nossa, conseguiram), para as pessoas que já assistiram ao vídeo abaixo (vale uma menção rápida de que, se você colocar diálogos do fim para o começo do vídeo, pode "encontrar" um sentido; pelo menos é o que dizem). Então, o post vai ficar longo (na verdade, já está), e se você conseguiu se interessar, ou pelo menos chegou a assistir por completo, as tais interpretações estão logo abaixo :)


Aquela p*#$@ de música do coelhinho da Páscoa nunca pareceu tão sinistra agora.

Eu encontrei esses textos em um blog em inglês.

(vou colocar algumas imagens "qualquer" porque gosto de "ilustrar" os posts)

A primeira teoria, interpretação, enfim, seria que aqueles três personagens são almas em um Purgatório. Pode parecer uma explicação preguiçoso para todas as bizarrices que estão ali presentes (Indireta para Lost? ... Acho que sim, mas nunca assisti a série), mas ai vem a parte que achei mais interessante (inclusive o autor do post original): os três são reencarnações presos nesse limbo infernal, pois talvez eram caçadores que morreram, e agora estão presos em corpos de coelhos (tanto quanto poderiam estar preso em corpos de alces ou lobos, ou raposas, quem sabe, ou um cão, pois note que parece meio um bulldog aquele demônio).
The Man in the Green Suit, citado algumas vezes por eles, como o homem que iminentemente é esperado a ser a visita deles, pode ser o "chefe" deles, ou melhor, o único que os mantém aprisionados nesse mundo sem vida.

A desgraça da cabeça demoníaca, Satanás, sei lá, seria uma "costumeira" saudação dele aos trio, sobre sua estadia.
A "plateia" de onde ouvimos os risos e aplausos, seria realmente uma plateia de outras almas.
Aquele mesmo ponto que disse que a única coisa que acho que entendi sobre a série, sobre a pergunta da Jane de que horas eram, e risadas ecoam logo depois, faz total sentido aqui, pois, outra vez, ser justamente engraçado perguntarem por isso, sendo que não faz diferença, já que eles estão ali. E o trio está consciente deles serem um "entretenimento", tanto que esperam pelo Homem do Terno Verde, seu "chefe", esperando ele vir dizer que eles já poderão sair daquele lugar.
Outra alma evidente nesse mundo, seria a mulher, muito possivelmente uma alma recém-chegada ali, que se depara com o trio, que em resposta ao estridente grito dela, age normal, fechando a porta logo em seguida.

Outra explicação, seria que todo aquele inferno, seria nada menos que a visão de uma criança brincando com seus coelhos de estimação, os imaginando como residentes de uma casa, que se vestem como humanos (como seus pais), e conversam sobre coisas que alguém da idade dele não compreende, por isso os diálogos entre eles são tão sem nexo.
As saídas constantes de Jack e Suzie, seria que são os dois coelhos que a criança mais brinca; Jane seria a que menos gosta de brincar, por está constantemente no sofá.
O demônio poderia ser um cachorro interagindo com os coelhos, as risadas seriam a família ou amigos da criança rindo daquele "mundinho" que os coelhos viviam, e flash de luz poderia ser um acidente, um incêndio, ou um defeito na luz só mesmo (como os coelhos não demostram reação alguma com aquilo... Embora com aquela mascara seja difícil isso acontecer, a não ser que eles falassem como os Power Rangers).

Outra, que eu não gostei tanto, mas que não deixa ser bastante interessante, é que isso tudo é uma paródia sombria sobre culutra pop moderna e o entretenimento, ao fato de que assistimos um sitcom, uma série, um desenho, para rirmos da desgraça dos personagens que vemos. A primeira série que me vem a cabeça é basicamente Chaves; Happy Tree Friends é um exemplo evidente; até Arrested Development.
Enfim, Rabbits mostra, sei lá como, a forma como tudo aquilo é vazio e sem sentido, e que mesmo assim é o que o público quer ver e rir daquele desgraça dos personagens.
O diretor responsável pelo sofrimento deles e o único capaz cancelar seu show, libertando-os, seria o Homem do Terno Verde.
A mulher que grita seria um telespectador que finalmente compreendeu que aquilo tudo é horrível e sem sentido (pode ser você ao ver o vídeo acima, e conseguido ler tudo isso aqui).
Por isso então faria sentido Suzie falar "Eu quero saber quem eu vou ser depois" (qual será seu próximo papel)

No mesmo post, achei um comentário de um cara que achou um comentário no vídeo no YouTube, e implica que Jack se envolveu sexualmente com a esposa de outro cara, que seria o Homem do Terno Verde. O inferno é algo criado por eles, pois estão com medo desse marido chegar querendo vingança contra o erro cometido por Jack, que agora todos pagaram por isso. Seria ele que estaria ligando para o telefone deles, e que seriam os passos dele no corredor.
Os momentos da poesia, seriam (junto com a cena final onde todos se abraçam no sofá) as últimas palavras deles antes da morte dele causada por um incêndio; causado por um marido ciumento; pelo Homem do Terno Verde.
E como disse antes, o demônio, e o mulher que grita (que também pode ser a esposa do tal marido sendo morta por ele), seriam nada mais que a paranoia, o medo sobressaindo sobre suas mentes agora perturbadas com o fato que morreram em breve...

Bem... Foi uma tradução que fiz de um blog que reuniu essas teorias, interpretações, e dei uma... Acho que ficou dramatizado a ponto de ser um roteiro de um documentário, eu acho.

Enfim, se conseguiu chegar até aqui, parabéns e obrigado, espero ter gostado do post e do Rabbits.

Acompanhe Nossas Redes Sociais: Twitter, Facebook, Instagram, Orkut (NOT), Filmow. Ah, e deixe seu comentário!

Alguém