Os 50 anos de Marnie - Confissões de uma Ladra

Apesar de não tem uma data especifica de seu lançamento, Marnie - Confissões de uma Ladra, mais uma obra do mestre do suspense Alfred Hitchcock, completa 50 anos. O Filme trás novamente Tippi Hedren de Os Pássaros como protagonista, e o já consagrado como James Bond, Sean Connery.

Em Marnie, acompanhamos a personagem de mesmo nome vivida por Tippi Hedren. Ela é uma ladra com sério problema de infancia, que tenta dar um golpe em empresa. Mas para sua surpresa, ela é descoberta por Mark Rutland (Sean Connery), playboy que acaba se apaixonando por ela. 

Marnie é um filme que, assim como os outros dirigidos pelo diretor, trás características fortes de sua filmografia. Muito mais contido do que Os Pássaros (filme antecessor de Hitchcock), Marnie tem como caracteristica principal o trauma vivido pela personagem titulo. O Suspense da trama está muito mais focado no segredo desse trauma do que em um perigo eminente. E esse sentimento que a personagem carrega é muito bem expressado pelo seu pavor pela cor vermelha, fazendo com que o filme utilize, na maioria das vezes, cores mais claras e pouco chamativas.

Como a linda Grace Kelly não pode participar do filme, Hedren foi escalada para viver Marnie, o que considero um erro. Hedren era uma péssima atriz (tanto que foi hitchcock quem lhe deu algumas aulinhas de atuação), e aqui em Marnie isso fica muito evidente. A Cena final onde ela tenta expressar o sofrimento que passou durante seu trauma é desastrosa. Nada que comprometa o filme, mas é algo que incomoda.

Mas Hitchcock escolheu perfeitamente Connery para o papel de Rutland. Ele trás, de uma maneira mais absurda, toda uma arrogancia (que em certos momentos lembra o próprio James Bond), fundamental para confrontar o comportamento de Marnie. E alem disso, o ator consegue de maneira grandiosa transmitir o sentimento de amor fetichista que Rutland tem pela protagonista.


Famoso por sua parceira com o diretor, Bernard Herrmann faz sua ultima contribuição para Hitchcock com uma trilha sensacional. Ela pode não ser tão marcante quanto Psicose ou Um Corpo que Cai, mas no contexto do filme contribui muito,

Marnie - Confissões de uma Ladra não é um filme obrigatório, mas serve como um complemento para quem quer entender sobre a obra de Alfred Hitchcock. 50 anos se passaram, poucos lembraram disso, mais eis aqui nossa perspectiva de mais uma obra de um dos maiores diretores da Cinema.