Rock is Not Dead 01# - The Dillinger Escape Plan


O Rock is not Dead é uma coluna que como o nome já diz tem como objetivo mostra que o rock não morreu, e que ainda existe uma infinidade de boas bandas de rock por todo o globo. E nessa primeira edição a banda escolhida é o The Dillinger Escape Plan!



The Dillinger Escape Plan foi uma banda fundada em 1997 por músicos da cena de hardcore/punk de New Jersey. A banda começou a ganhar destaque após ser apadrinhada pelo multi-instrumentista e vocalista do “Faith no More” Mike Patton que após ouvir o primeiro álbum da banda “Calculating Infinity” convidou o TDEP para abrir os shows da turnê de uma de suas bandas.


Mas é em 2001 após a entrada de Greg Puciato(Vocal) e Liam Wilson(Baixo), que a banda toma a forma pouco definível que é conhecida até hoje que vai da leveza do Jazz a agressividade extrema do Noise Core. De 2001 pra cá a banda lançou 4 excelentes álbuns sendo que o ultimo deles o “One of Us is Killer” que foi considerado um dos melhores discos de 2013, tendo média de avaliações altíssimas por diversos sites e revistas. 


Definir o som dos caras é algo praticamente impossível, já que eles mesclam elementos de diversos estilos musicais. Em uma só musica você pode ouvir linhas de baixo puramente Jazzistas, riffs de guitarra com uma cara de progressivo, pegadas de bateria com uma agressividade do mais sujo e barulhento Grindcore e linhas de vocal que vão do mais melódico Stoner Metal ao mais esganiçante gutural de Doom Metal.  


Os responsáveis por essa variedade musical são os 5 excelentes músicos que compõe a banda, e que merecem um tópico a parte nessa coluna. 


A dupla de Guitarras formada por Bem Weinman (líder e único membro original da banda) e James Love dois excelentes guitarristas que trazem muitas influencias de Jazz, Fusion e Rock Progressivo em seus riffs além de serem famosos por conseguirem tocar em alta velocidade (e sem errar ao vivo, ao contrario de uma tal banda que é conhecida por seus solos acelerados) e é por essas caraterísticas que a dupla figura em diversas listas de melhores guitarristas do século 21.



O baixo tocado por Liam Wilson que é uma peça crucial na banda, seria impossível o TDEP ter esse peso sem a presença do barbudo, que traz uma grande influencia do Hardcore misturado com Death e Black Metal.



Na bateria temos Billy Rymer um dos melhores se não o melhor baterista do século 21, o cara tira um som incrível com um kit de bateria dos mais simples possíveis, e traz uma clara influencia de caras como Gene Krupa e Buddy Rich dois clássicos bateristas de Jazz.



E por ultimo, mas não menos importante nos vocais o genial Greg Puciato. Sinceramente falar qualquer coisa de Greg é chover no molhado. O cara é um dos vocais mais impressionantes e versáteis que já vi. Ele consegue fazer de vocais limpos e melódicos a guturais totalmente brutais.   



Outra coisa que se merece destacar na banda são suas apresentações ao vivo, que tem características únicas que vão de porradaria, fogo, sangue, instrumentos quebrados a pessoas no teto. Se ficou curioso basta olhar as imagens a cima ou o vídeo compilado a baixo. 


Concluindo essa primeira edição, The Dillinger Escape Plan é uma banda única que faz qualquer um ficar de boca aberta ao ver uma apresentação dos caras, eles são facilmente uma das melhores se não a melhor banda da atualidade prova disso basta ouvir qualquer um dos seus discos ou simplesmente ver qualquer vídeo de um show da banda. Esses caras dão um chute na bunda de qualquer um que diz que o Rock esta morto.