Cabo do Medo (1991) de Martin Scorsese


Por que começar um artigo sobre um filme de Martin Scorsese falando de Alfred Hitchcock? Bom, justamente porque Hitchcock é uma grande influencia para vários diretores, tanto atuais, quanto os que hoje em dia são tão renomados quanto ele já foi. Martin Scorsese é um deles, pois, nem que seja em uma simples cena de seu filme, lembramos de um close ou movimento de camera Hitchcockiano (ta certo essa palavra produção?). E Cabo do Medo é o mais evidente desses filmes.


Refilmagem do clássico, Cape Fear (aqui no Brasil, Circulo do Medo, 1962), Cabo do Medo (1991) foi a oportunidade perfeita para Scorsese (que aquela altura já tinha feito Taxi Driver, Touro Indomável e Os Bons Companheiros) homenagear Hitchcock, usando todos os truques que diretor deixou em seu legado para o cinema, e tambem a Trilha Sonora (recomposta a partir da trilha de Bernard Herrmann, compositor de Hitchcock).
Comparação de Cenas: Circulo do Medo (1962) e Cabo do Medo (1991)
Na história, Robert DeNiro (o ex-menino de ouro de Scorsese) vive Max Cady, um estuprador que acaba de sair da cadeia determinado em vingar-se do seu advogado de defesa, vivido por Nick Nolte. O Filme, bem mais violento do que o original, demonstra-se um grande suspense psicológico e trás técnicas até então não usadas nos filmes de Scorsese (como adicionar efeitos de cores negativas em algumas cenas, ou até em cortes rápidos para dar mais velocidade a trama).

Todos os atores estão perfeitos. DeNiro entra no personagem, se tornando uma maquina com apenas um ideal. Chega a ser brilhante e genial em certos momentos. Nick Nolte expressa o verdadeiro medo que o seu personagem começa a sentir ao decorrer da trama. E Juliette Lewis, com apenas 18 anos, surpreende vivendo Danielle, menina de 15 anos, ingenua e praticamente um pecado na questão sensual.

Juliette Lewis. Não sinta-se Culpado, ela já tinha 18 anos

A Trilha, como citei, é baseada na obra de Bernard Herrmann. Ela acaba se tornando quase um personagem próprio do filme, e aumenta ainda mais a tensão dos acontecimentos. Dos filmes que já vi de Scorsese, esse é o mais violento de todos. E eu pensando que Taxi Driver era um filme pesado...

Cabo do Medo é um pouco esquecido pelo grande publico. Talvez seja por que foi lançado apenas 1 ano depois de Os Bons Companheiros, considerado um obra prima do diretor. Mas com certeza é um filme que não pode ser esquecido, pois é um dos mais marcantes da filmografia de Martin Scorsese.


Que vozim gente boa hehe

Nosso perfil no Filmow