Amnésia (Memento, 2000)

Só pra Constar

O Cinema não tem apenas a função de divertir (seja fazendo rir, chorar ou até ter medo), mas também de desafiar o seu telespectador. E esse desafio é cada vez mais deixado de lado, pois infelizmente muitos cineastas acabam subestimando a nossa capacidade de pensar. Mas, de vez em quando, alguem resolve fazer exatamente o oposto. E foi exatamente isso que Christopher Nolan (que nos presenteou com grandes os filmes da trilogia Batman) fez com o filme Amnesia (Memento, 2000), que nos coloca na desconfortável situação de Leonard (Guy Pearce), um homem que busca vingança pela morte da esposa, e que, devido a um ataque sofrido em sua cabeça, não consegue se recordar de nada recente a cada 15 minutos. 

O Grande diferencial do filme é a sua narrativa reversa. Em vez de uma sequência linear, o filme começa de trás para a frente, fazendo com que quem o assiste se pergunte: "O que veio antes disso?". Alias, perguntas é o que não faltam nesse longa, tanto pelo filme, tanto por nós. Nolan usa essa técnica para nos colocar na situação de Leonard, afinal, quem se esquece de fatos recentes, nunca tem certeza do que está a fazer, e sempre se pergunta do que veio antes. Nos colocando diretamente no final da história, também somos levados a nos perguntar isso.

De maneira séria, mas em certas situações cômica (como quando o personagem percebe que estão correndo contra um homem armado, e se pergunta: "Eu estou perseguindo ele ou ele está me perseguindo?"), Nolan transforma uma história trágica e simples em um grande exercício mental. Não é precisa ser um gênio para entender o filme, mas saiba que diferente de um filme de ação simples, você deverá fazer um quebra cabeça em seu pensamento.

Termino esse artigo relembrando a cena em que Leonard vê sua esposa lendo um livro que já leu, e a pergunta: 

- "Por que está lendo esse livro de novo? Você já não o leu?"

- "Porque eu gosto de le-lo. Simplismente o leio"

- "Mas a graça de ler um livro não é justamente saber o que vem depois?".

Fazendo um paralelo, Nolan nos diz com esse filme que as vezes, a graça tambem está em saber o que aconteceu antes.