Falando de Velharia: Mega Drive

Para essa sexta feira, preparei um especial sobre um dos consoles mais lembrados até hoje: O MEGA DRIVE! Relembre as versões e adereços que esse console tinha, e reviva uma geração!
O Mega Drive, tanto no Japão quanto nos Estados Unidos, teve suas devidas versões, mas todas se iniciaram no modelo maior. Porém, como já foi dito, nos Estados Unidos o console recebeu o nome de Genesis, referenciando um novo "nascimento" na industria dos games e no que se falava sobre videogames. Mas não foi apenas isso, o Genesis ainda recebeu a versão 3, produzida pela empresa Majesco, que encerraria a carreira do Mega Drive, em 1997. O foco desse novo console seria à "baixa renda", pois sairia com um preço muito mais agradável, por volta de US$ 50,00 e os jogos por US$10,00. A empresa fechou o projeto Genesis 3 com uma vendagem superior a 2 milhões de consoles.
Atualmente, o Mega Drive ainda é comercializado aqui no Brasil. Esse novo Mega Drive 3 vem com 72 jogos na memoria, e grande maioria deles na sua terceira versão, como Golden Axe 3, Shinobi 3,... Aqui no Brasil, foi registrada a marca de mais de 2 milhões de consoles vendidos.

Hardware

O Mega Drive possui um processador central de 16 bits, da Motorola® (o Motorola 68000) operando a uma freqüência de 7,67 Mhz. Este processador era o mesmo utilizado por alguns microcomputadores da Macintosh na época. O MC 68000 é capaz de processar uma enorme quantidade de instruções por segundo, tanto como seus cálculos para a memória RAM como para a memória de vídeo. Para um game cheio de vida, como o emulado pelo Mega Drive, seu sistema possui uma memória total de 1.728 Kbits – 1,7 Mbits – (216 Kbytes); sendo desta memória total: 576 Kbits (72 Kbytes) destinada à sua RAM, garantindo velocidade ao jogo; 512 Kbits (64 Kbytes) à sua memória de vídeo e 576 Kbits (72 Kbytes) à sua memória de cor, assegurando gráficos em real 2D, com seus incríveis planos móveis; 64 Kbits (8 Kbytes) de RAM de som, assegurando uma sincronização perfeita com os movimentos. A mídia de processamento do Mega Drive eram cartuchos de 4 Mega de memória interna, e funcionavam com velocidade alta. Posteriormente, cartuchos com maior capacidade foram surgindo, como foi o caso do jogo Sonic the Hedgehog 2, o primeiro cartucho com 8 Mega, mas alguns ainda receberam 32 Mega.

Originalmente o Mega Drive foi lançado com um joystick com um botão direcional, três botões de ação e um de início de jogo. Por ocasião de lançamento do jogo Street Fighter II para o console, um joystick com seis botões de ação foi lançado e se tornou rapidamente o padrão de mercado. Também foram produzidos controles padrão "arcade" e com manche.

Periféricos
O Mega Drive se destacou muito não só por possuir um processador melhor que o concorrente, jogos que chamavam muito a atenção e muitos outros aspectos, mas seus periféricos eram únicos na época. Conheça alguns deles:

  • Sega CD

O mais famoso dos periféricos, porém sem muito sucesso, o Sega CD era um acessório que era acoplado ao Mega Drive através de um chip embutido no console, que o possibilitava a leitura de jogos gravados em CD. Esse acessório acrescentava um co-processador auxiliar idêntico ao do próprio Mega Drive e permitia a exibição de vídeos e reprodução de musica com qualidade digital, com fala e tudo o mais. Um sucesso eminente não fossem vários contras, como o alto valor, alto consumo de energia, pois era necessária mais uma tomada para alimentar o trambolho. Porém, o acessório ficou na memória por apresentar ao mundo os inesquecíveis Sonic CD e Lunar: The Silver Star Story.

Foi lançado, mais tarde, inclusive aqui no Brasil, um híbrido do aparelho, chamado Multimega CDX, que seria o Mega Drive, o Sega CD e um CD player portátil. Teve vida muito curta, e era possível fritar ovos em cima dele... rsrsrsrsrss... 

  • 32x

Com o 32x, o sistema era acoplado à entrada de cartuchos (como um cartucho) e o Mega Drive ganhava dois processadores auxiliares de 32 bits, com novos jogos baseados em cartucho sendo desenvolvidos para esse sistema. Acabou sendo desbancado pelos novos 32 bits (Playstation), pois não era tão revolucionário quanto os jogos 3D e não dava pleno suporte aos jogos de CD. Também era muito caro. O jogo mais conhecido do acessório foi Knuckles Chaotix.

  • Activator
O Activator permitia que o jogador usasse jogos de luta dando socos e chutes no ar, sem controles. Se tratava de uma especie de tapete, no qual lasers capturavam os movimentos do usuário e transmitiam para os jogos. Street Fighter 2 e Mortal Kombat 2 permitiam esse sistema. Será que esse inspirou o Kinect???Provavelmente sim...

  • Mega Net
Mega Net ou (XBand na versão beta) era um modem/ cartucho que, acoplado, permitia jogar com outras pessoas conectadas em um serviço pago, além de mandar e-mails e acessar outros serviços online (no Brasil esses serviços incluíam correio eletrônico e acesso bancário). Funcionava com velocidade impressionante.

  • Power Base

O Power Base Converter/ Sega Mega Adaptor permitia jogar cartuchos de Master System no Mega Drive. O acessório apresentava alguns problemas em revisões posteriores do console, já que o conector do cartucho ficava mais distante do topo do gabinete do console, fazendo com que o terminal de inserção do acessório não ficasse devidamente encaixado. O problema podia ser resolvido removendo o acessório do gabinete plástico, encaixando-o diretamente no Mega Drive.

Vale a pena relembrar até hoje esse consagrado console...